top of page

Entenda a história da Alheira Portuguesa: Quando a culinária se mistura com a resistência

Passada de geração em geração, a alheira portuguesa se tornou tradição na culinária lusitana, mas pouco sabem sua origem.

Alheira portuguesa
Alheira portuguesa. Foto: Reprodução

A gastronomia portuguesa é conhecida internacionalmente pelas tradições e gastronomia rica em originalidade e sabor. O que poucos sabem, é que além disso, a alheira lusitana tem em suas raízes uma história de persistência de um povo. Continue para entender mais sobre!


Durante a Inquisição em Portugal, onde o povo judeu sofria a perseguição religiosa, era necessário coragem e estratégia para seguir suas crenças. Os judeus convertidos ao cristianismo, mas que secretamente seguiam os preceitos de sua fé, tinham como obstáculo a prática alimentar católica, que difere das propostas do judaísmo. O consumo da carne suína precisava ser constantemente driblado.


Para não consumir os enchidos de carne de porco, a alheira foi uma criação perspicaz como disfarce por se parecer visualmente com o enchido que deveria ser ingerido por eles. Feita com carne de aves, pão, azeite, alho e demais temperos, a alheira era posta em locais visíveis, como nas portas das casas, para desviar suspeitas sobre a verdadeira fé do residente. Passada de família para família, a receita se tornou um símbolo de resistência que ajudou os judeus a seguir o que acreditavam sem serem punido por isso.


Pouco se imaginava na época que a alheira se tornaria parte da tradicional gastronomia portuguesa, se espalhando do país para o mundo. Hoje, constantemente consumida frita, grelhada, assada ou adicionada em elaboradas receitas, a história de sua origem merece ser disseminada por todos os amantes do quitute, assim como seu sabor. As memórias do passado mostram como a culinária pode fazer parte da salvação de um povo e símbolo de luta que ultrapassa gerações.


No Boteco Português, os visitantes têm a oportunidade de experimentar o croquete de alheira, uma clássica entrada lusitana com o enchido desenvolvido pelos judeus, sem sair da capital baiana. O restaurante funciona de segunda à quinta, das 12h às 23h; às sextas-feiras, das 12h às 01h; aos sábados, das 12h às 01h; e aos domingos, das 12h às 21h. Para garantir sua mesa, é recomendado a reserva antecipada através do site www.botecoportugues.com.br/reservas.


Croquete de Alheira do Boteco Português em uma cubuca azul
Croquete de Alheira do Boteco Português. Foto: Matheus Andrade



32 visualizações0 comentário
bottom of page